quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

"O estranho caso do fazedor de pupu"


Pode ser o título de um grande filme, candidato aos Césares, Óscares e Ursos dos festivais de especialidade no próximo ano. (Alguns filmes candidatos conseguem ter uma essência e argumento de pupu, por isso é ela por ela.)
Desengane-se, porém, o leitor. Este é o caso real de Kenneth Sorsony - o Abominável Defecador de Ocala. Só os grandes criminosos escapam à justiça. O segredo, revelo já, é não deixar rasto. E rasto, sr. Sorsony, foi algo que o caríssimo fez questão de deixar. Que balhoco, deixe que lhe diga.


Ah e tal Pusinko, mas então tu não lês o Financial Times com as torradas de manhã?
Não, meus caros, eu sou uma refinada canastrona que se debruça em peças de literatura do calibre do CM quando o seu cérebro está em estado líquido, como nos últimos dias. Até tenho medo de inclinar a cabeça, não vá sair por uma orelha e perder-se para sempre.
Podia ser pior, mas não vamos entrar por aí.

4 comentários:

Joana disse...

Só nos Estados Unidos da America é que acontecem destas coisas e o CM delicia-se com elas, dado o conteúdo intelectual das mesmas.

Beijinhos

Pusinko disse...

Joana: O CM e eu que então estando de cama, agora, dei um passeio no insólito. E há coisas que não lembram a ninguém.


Beijinhos

Julie D´aiglemont disse...

O CM on line está nos meus favoritos, no lugar deixado vago pelo defunto 24 Horas.

AC disse...

Bem, cada maluco com sua mania...defecador em série, não lembra a ninguém.Socorro!!!