quarta-feira, 29 de julho de 2015

A ouvir #74: Tom Waits - Roxanne


Daquelas covers que são melhores que o original... e esta voz ^^
Com um xi-coração à Afrodite (porque tu mereces muitos)







terça-feira, 21 de julho de 2015

Aquele momento


em que os teus amigos que moram em Berlin e conheceram os teus pais aquando de uma visita destes à capital estao no teu país-cidade-casa(-dos-teus-pais) a almocar um bacalhau no forno delicioso cujo aroma te chega por risos e fotografias. E tu ficas feliz por eles, mesmo que te faltem mais 9h de trabalho e haja 3000km entre aqueles sorrisos que adoras. A saudade é uma coisa tao nossa.


segunda-feira, 20 de julho de 2015

Frase do momento #45



"For the high fly how low are you willing to go?"


Autor desconhecido / Letra de música


sábado, 18 de julho de 2015

Crónicas de horas vagas: "A família nao se escolhe" ou o contrário




Sou de afectos, sorriso fácil, temperamento difícil.
A minha família nuclear (sendo que ainda não fundei uma por mim), continua a ser a trindade mãe-pai-irmão (até a equipa aumentar com uma contratação matrimonial a partir da próxima época... sim, vamos passar a quadrilátero :o) Pilares onde assenta a minha existência, os primeiros a quem recorro e cujos abraços me faltam naqueles dias em que um ecrã ou telefone não bastam.

Junto deste patamar de exclusividade estão as minhas avós - a São e a Quica - com as quais cresci e me ligo profundamente por motivos mui diversos, quase opostos. Duas mulheres que admiro e ambas muito presentes na minha vida e das quais já falei cá. Acontece que, mesmo estando bem servida neste departamento, não me coibí de adoptar mais 2: a avó Bini e a D. Alice. A primeira não vejo há muitos anos, mas sei-a bem. Dona de um sorriso muito belo e olhos brilhantes, autora do melhor souflé de frango do mundo, é avó de uma prima a quem não pedi licenca para rapinar e incluir na minha cartilha de familiares fofinhos emprestados... (Agora que penso nisso, também lhe rapinei uma tia, mas já lá vamos...).
A D. Alice era amiga dos meus avós paternos, uma Senhora no mais perfeito sentido da palavra. Ser-lhe-ei grata sempre pela dedicação com que me guiou na adolescência nas longas conversas entre chás e livros, modas e (bons) costumes de tempos idos,  fomentando o meu interesse pelo clássico (tal como a minha mãe). Quase sem eu dar por isso, limou arestas que em boa idade foram ajustadas e às quais só mais tarde viria a dar o valor inteiro. Não tinha netos e afeiçoou-se a mim como a neta que lhe faltava. Era recíproco e ela sabia-o.

"Tias de sangue" tenho 2. Já tios tenho mais e, estou em crer que casaram bem, mesmo os que descasaram. Por exemplo, a tia Zi é tão estimada por todos que nem o facto dela e o meu tio se terem divorciado há 20 anos fez alguma diferença na dinâmica familiar e na ligação que temos com ela. Foi quem me deu colo e cobriu de mimos no fim de um dia mirabolante que surgirá brevemente na rubrica "Vai uma coisa parva sobre mim... vai ter de ser". Já a tia Fátima possui 1 rara combinação de irreverência e disciplina que doseia com mestria. Além disso, ensinou-me a andar de bicicleta! Há ainda as tias MJosé e a Isabel que me moram no coração, e mais duas, uma que raramente vejo e outra que é melhor não ver.
Nas aquisições pessoais tenho a tia João - amiga da minha mãe dos tempos de liceu tornou-se, conforme fui crescendo, numa amiga que também é minha, deu-me a mão numa longa caminhada espiritual. Há ainda a tia CG - a tal que rapinei a uma prima - com quem tenho uma ligação deveras especial e a única entre os mencionados a ler este post (Olá Tia!!)
Outros e outras há (amigos que passam a primos, manos a manas, poucos e bons), com elas episódios caricatos merecedores de posts nome próprio um dia destes.
"A família nao se escolhe" é, portanto, estribilho sem sentido para mim. Por um lado, angario para o meu círculo pessoal os que o são desde sempre e os que a vida me dá de presente; por outro, vou gerindo um(a) ou outro(a) que a Fortuna pôs no meu caminho como sendo de sangue para me arreliar desafiar um pouco.
O segredo é apreciar os que temos e acrescentar os que nos fazem falta até conseguir o royal flush.










quinta-feira, 16 de julho de 2015

A enorme vantagem de usar sapatos rasos* é


que nunca se sabe se acabamos a noite num karaoke coreano e, assim como assim, (já que a voz de cristal não é o nosso maior talento), sempre escusamos de parecer a Branca de Neve e os 50 anões....

Sim, depois deste evento, voltei a repetir a brincadeira com a mesma colega de trabalho e uma amiga dela. A dúvida é: as aulas de canto são obrigatórias na Coreia do Sul (na do Norte tudo é obrigatório excepto questionar)? Porque catano hão-de cantar todos (quase, havia 2 piores que eu) tão bem? Eu sou do tempo em que ir ao karaoke era um evento raro e cujo objectivo principal era a palhaçada. Nem os que se safavam iam lá armados em Beyonces e popalhada da nota alta esganiçada.
A sério, gente de onde o dia começa, não envergonhem este lado do planeta, pá!





* Sandálias e sapatilhas, basicamente. O que eu não dou por uns saltos altos, mas as costas pedem moderação...

domingo, 5 de julho de 2015

terça-feira, 30 de junho de 2015

A TVI alemã: o drama, o horror, Moto GP e trufas de chocolate (do Equador)


Errata
Onde se lê "TVI alemã" leia-se "todos os canais generalistas".

Em Portugal é comum ouvir o público referir-se à "TVI" como o fim da linha no que a programação de baixa qualidade diz respeito. Confesso que há fundamento para certas piadas mas, se quem fala assim visse um bocado de TV alemã talvez reformulasse a sua escala de mau.
Aqui também há melodramas de fazer chorar as pedrinhas da calçada, actores atrozes e apresentadores que estavam bem melhor a embalar sandes de queijo para máquinas de venda automática do que na TV nacional. A caixinha mágica germânica merecia mais, a sério que sim. Mas, pelo menos há a publicidade geral para equilibrar as coisas. Pois sim... nos intervalos há anúncios que me fazem questionar se permitem consumo de drogas pesadas nas companhias. Não as que inventam certas atrocidades, as tais empresas criativas ahahahahahah mas as que, alegremente, pagam e não bufam por tais produtos. Isto começ...

- Ah e tal, Pusinko, então não eras tu que afirmavas a pés juntos (e em separado, dedos cruzados e o chifrudo a 4) que não tens nem vês televisao? Que vem a ser isto?
- É um facto mas...
- Esperava mais de ti, francamente!
- Deixa-me acabar, por favor? Há uma razão para tudo.
- ..........

Como eu ia dizendo antes do Joel me interromper - o Joel é o meu amigo imaginário preferido e tem direito de antena no blog sempre que quiser - isto comecou com o retomar do ginásio. Várias máquinas possuem televisão (e mariquices tipo tweeter, FB...) e uma pessoa experimenta diferentes canais porque não os tem em casa e sempre se passa o tempo. Sucede que, após um zapping agoniante, dou por mim feliz com os resumos de Moto GP (à propos, e o duelo entre o Marquez e o enorme Rossi no fim de semana?) ou campeonatos de snooker. Assim como assim, são mais respeitáveis que a verborreia televisiva disponível às 7 da manhã.

Em resumo, a televisão generalista nesta terra é um poço sem fundo de tesourinhos deprimentes. Da publicidade aos reality shows, dos programas de entretenimento aos concursos, das telenovelas aos filmes dobrados, haveria muito por onde reflectir, tivera eu engenho e arte (ou paciência, vá) para esmiuçar isto a eito.

Nota final:
Caros alemães, fazeis castelos bonitos, que fazeis, mas olhai que nisto das novelas, as da Globo dos anos 80 têm muito para vos ensinar. Importai que vos faz melhor.

Era isto. Adeus. Boa noite.


PS: E trufas de chocolate? Cuidais que eu olho para a TV alemã sem um motivo sério?


Notai que a melhor chocolateria de Berlin é exactamente em frente ao ginásio. Detalhes sórdidos de quem sabe o que tem lá dentro AQUI.


quarta-feira, 24 de junho de 2015

Frase do momento #44



"O meu pai sempre me disse que quando uma pessoa está a subir deve ir cumprimentando toda a gente porque são os mesmos que há-de encontrar quando começar a descer"

Papa Francisco


(O material que não há aqui para muito boa gente reflectir...)


terça-feira, 23 de junho de 2015

Curtas


Eu sei que isto é longo pra chuchu mas, é assim que se enche chouricos um post com II (Informacao Irrelevante) de grande qualidade.

Um amor: ui tantos... é para contar?
Uma cor: Preto e Vermelho
Um desporto: Karate e danca Oriental
Uma música: 10,000 Days - Tool & Hallelujah - Leonard Cohen
Um orgulho: comer de faca e garfo ou fazer o pino... é ela por ela
Uma comida: bacalhau / polvo à Lagareiro e açorda de alguma coisa
Um dia: 1 de Janeiro e 3 de Julho
Um ídolo: a Avó e a Mãe (1 descende da outra)
Um desenho animado: Tom & Jerry e a Tartaruga Touché
Um defeito: temos aqui material para uma tarde bem passada..
Um melhor amigo: um amigo desde a 1a classe tem esse título
Uma pessoa com quem partilhas mais memórias: o irmão (partilho os pais, imensas memórias e milhoes de gargalhadas parvas)
Uma cidade: Berlin, Braga & Lisboa
Uma rede social: tenho conta no FB, Piscinas municipais de Braga, LinkedIn, RG, Inatel, Twitter, Amigos de Peniche... espera, enganei-me 
Uma viagem que queres fazer: Japão (2 semanas em silencio num mosteiro, 2 a passear) e 1 tour por 12 casas de ópera no mundo com estreias de Puccini
Um sonho: Ser candidata a Miss e dizer "World Peace" quando me perguntarem o maior sonho
Uma bebida: água (ia dizer vinho tinto ou Campari com prosecco mas é melhor não)
Uma disciplina: trabalhos manuais
Um fetiche por: sotaque galês em voz quente
Um número: 5
Um clube: FCP
Uma pessoa que te faz muita falta: 1 mão cheia delas
Uma pessoa que nunca trocarias por ninguém: Até ver, há 3 que são "introcáveis".
Alguém que odeias: Odiar odiar, só iscas de fígado (blheec).
Alguém que te está a irritar neste preciso momento: Assim de repente, ninguém.
Alguém a quem contas TUDO: Não se conta t-u-d-o a ninguém.
Alguém que gostas mais de abraçar: pessoas diferentes, abracos fundamentais e intransmissiveis.
Alguém que já fez muito por ti: Mãe
Alguém que te faz mesmo feliz: Strauss (nos ouvidos faz-me ensaiar valsas na rua)
Alguém por quem farias qualquer coisa: É do conhecimento dos alguéns
Alguém que te põe sempre a rir: Avó Kika, mesmo que a memória se lhe esvaia, vive em mim cada sorriso que lhe arranco.
Alguém amoroso: eu sou amorosa em anos pares
Uma vitória: ter reaprendido a dormir após anos de insónia. 



sexta-feira, 19 de junho de 2015

A ouvir #71: Moonlight Sonata (#14) - Beethoven






Esta entra na lista de Pessoas-mais-ou-menos-especiais-que-têm-uma-música-que-lhes-associo, no caso, a Eun, que trabalha comigo.

- Who's your favourite composer?
- "Beethoven."
- Why him?
- "At times his music is so perfect I could die in it."

Gosto e ouço Beethoven aqui e ali, enquanto faço outras coisas (a trabalhar ou a acompanhar um livro) mas, na altura, confusa com a explicação apenas lhe sorri. Tempos mais tarde, enquanto ouvia a Moonlight Sonata - e por um motivo que não saberei explicar - recordei-me deste diálogo e as suas palavras fizeram algum sentido. Talvez faça mais a quem tem a música no sangue.
A Eun é uma pessoa extraordinária que cruzou a minha vida de diferentes modos. Mui peculiar. Hoje o ênfase é na música. Na próxima dedico-lhe um post.







segunda-feira, 8 de junho de 2015

Vai 1 coisa parva a meu respeito? Vai ter de ser... Os calções do mano.


Legenda
P = Pusinko
M = Mãe
I = Irmão

Certo sábado algures nos anos 90, a mãe chega a casa depois das compras. Entre outras coisas, havia um par de calções à gandulo (compridos e largos, bolsos grandes, cinzentos com apontamentos cor de laranja e um boneco de lado) para o mano. 
P - Posso ver melhor estes calções?" (Acrescentar olhar de lobo mau mascarado de avózinha)
M - Sim. E já agora leva-os lá acima pra o teu irmão experimentar..
Num ápice Pusinko acede aos aposentos no 1o andar e desvia a rota para o seu quarto onde experimenta os ditos calções. Foi com eles vestidos ao quarto do irmão para abrir negociações.
P - Então? Gostas dos calções que a mãe tinha comprado para ti mas que eu gosto mesmo muito e eram exactamente o que eu queria? Eu acho espectaculares! Que dizes?
I - ......................
P - São fixes não são? Vou mostrar à mae. Gosto mesmo deles.
I - Hmmmm....
P - Maaaaa, olha olha! Que achas?  O J. Nem está muito interessado, posso ficar com eles, posso? Posso? (O J. não disse nada, não sei se pelo meu entusiasmo, se por eu não ter esperado que ele comentasse o que quer que fosse).
M - .....................

Obrigada mano e mãe por deixarem a Pusinko adolescente ficar com os calçanipos  à malandra. Passados para lá de muitos anos, continuo a tê-los em modo peça de museu e sou capaz de os vestir se me der na telha.




terça-feira, 28 de abril de 2015

Os 10 britânicos com mais estilo



1o Audrey Hepburn
2o Lady Di
3o David Beckham
4o Kate Middleton
5o Twiggy 
6o HRH rainha Elizabeth I
7o Sean Connery
8o David Bowie
9o Victoria Beckham
10o Kate Moss

Notícia AQUI

Ora bem, sabemos que o mundo não está perdido porque o 1o lugar está muitíssimo bem entregue à eterna Audrey. Sobre os restantes não vou comentar porque a escolha está feita. No entanto, ninguém me convence que não trocaram a ordem aos Davids (em que planeta desconhecido Beckham ficaria à frente do (divino) Bowie?)




domingo, 26 de abril de 2015

Berlin by me #7




Todos os caminhos se cruzam em algum ponto. Todos vão dar a Berlin.
Ao fundo à direita está a Neue Synagoge, a sinagoga mais emblemática da cidade e talvez do país (detalhes AQUI).





quinta-feira, 23 de abril de 2015

Punk and Disorderly - considerações sobre tudo em geral e fauna em particular



Foram 3 dias de punks agrupados num evento no centro festeiro de Berlin (no Leste, claro). Fui ao 3o dia porque os Toy Dolls encerravam o festival. 35 anos de carreira, das poucas bandas punks que "toca mais de 3 acordes" (confirmai AQUI com a benção de Bach) e melodias diferentes para cançonetas diferentes (as outras devem achar que nós não damos conta...).

Um noite de boa disposição seguida de quase 3 minutos de aturada reflexão para concluir o seguinte:

- É engraçado ir a um evento tão específico e ser diferente por ir "normalzinho" no trajar, penteado e quantidade de metal atravessado na chicha;
- Grande revelação + conselho da semana a uma boa percentagem do público presente: o sabão não morde! A sério, até se desfaz quando combinado com água. Isso e detergente nas roupas volta e meia. Ide e espalhai A palavra.
- Pessoas de cristas, a pergunta que se impõe: como é para dormir de costas? (Esta dúvida encanita-me muito antes do festival)

Berlin, um dos redutos punk. Aqui em sintonia de cores

Toy Dolls, o mesmo vocalista de sempre,
mais que muitos bateristas e baixistas.

Nellie the Elephant - cover dos Toy Dolls