quinta-feira, 14 de março de 2013

Dos dias 13


Numa sexta-feira 13 de Março nasceu Pusinko - O blog.
Pusinko - Autora já existia há anos na boca de um amigo checo (autor do nick).
Este blog esteve de molho pouco depois de ver a luz do dia e renasceu em 2011 como meio de destilação de parvoice entre rasgos de seriedade a quebrar o ambiente.
Gosto de registar o meu estado de espírito, dar uso a vocábulos (+/-) rústicos, músicas que me lembram pessoas, contactar com malta paciente para acompanhar os meus devaneios e descobrir amigos atrás de alguns tascos queridos. Rio-me muito mais com certas coisas que escrevi nestes anos do que qualquer outra pessoa, porque me reporto ao momento que motivou certo post e o que resultou dali. 

Desopilar! É o que se pretende nesta morada. Talvez por isso não fale do meu trabalho, que é mais sério do que eu. No entanto, desde o tipo de actividade que desempenho ao edifício de nome peculiar (onde passo tantas horas que por vezes chamo casa) e às pessoas que me rodeiam, tenho infinito material para tesourinhos em talha dourada de absurdo. A minha rotina é composta de... rotina e contecimentos insólitos que não lembram ao capeta. Uma conjugação assaz interessante que, por vezes, gostaria de partilhar. Mas, uma 2a avaliação diz-me que isso significaria abrir uma porta que não quero ter escancarada e, muito menos, deixar certos registos na internet para todo o sempre. É aí que entram os amigos imaginários e as relâmpago-entrevista xálálá (bons tempos) entre outros escapes que não comprometem 3os. Deixo esse capítulo para mesas com copos e amigos.
Sobre mim, o que não falta é informação pessoal. Por outro lado, os momentos mais intensos não estão visíveis. Nos últimos 3 anos chorei lágrimas gordas em momentos desesperantes a diferentes níveis, sufoquei de ansiedade ante eventos cruciais da minha carreira, atingi objectivos pessoais e curei males de amor, quase sempre exorcisando os demónios com anedotas, piadas e tudo o que me distanciasse das marés revoltas do meu mundinho. Para mim funciona e basta.

E é isto. Obrigada a quem lê, comenta, insulta, goza, provoca ou abraça virtualmente, às caras que conheço e às que imagino, aos nomes que sei e aos que associo a certos bloggers.

Parabéns bloguinho guardador de sonhos e não de vacas.

Não temos bolo mas há prosecco com amoras e mirtilos, cortesia da roomie italiana para um jantar desta semana que soube pela vida (a acompanhar tagliatelli e focaccia feitas em casa, com máquina de pasta como manda o figurino).



Cheers!!

Adenda:
Para quem me segue desde o início e queria mesmo um bolo, vai o tridente de Neptuno/Poseidon



7 comentários:

Black Sun disse...

uma fatia para mim sff


beijoooooooooo


Black Sun disse...

pois...mas não há bolo...que cena!

Joana disse...

Grata por teres começado o blog. Através dele fiz uma amiga de quem gosto muito e com quem tenho partilhado nos últimos anos momentos importantes da minha vida. ;)

Parabéns a ti e ao blog.

Beijinhos

Pusinko disse...

Black Sun,
Está resolvido o bolo. Com pasta de açúcar e corantes e tudo bonito :)

Beijo



Joana,
Same here, tu sabes. Tu foste (e és) uma das melhores prendas do Universo através deste blog. Obrigada por estares semrpe desse lado.

Beijoo

D.Pereira disse...

uma das coisas que mais me entristecesse, é não saber quando criei o meu blogue... mas pronto.. foi algures em 2007...
Foi um dia criativo para criares o o teu cantinho...a superstição diz que é um dia de azar, eu cá acho que foi um dia de sorte! senão não tinha o prazer de andar aqui a ler os teus "estados de espírito" e com vocabulário rústico!

Black Sun disse...

está lindo... e não dou a ninguém...sim sou invejoso

beijoooooo

Rachelet disse...

Chego sempre atrasada com os votos... mas olha: quantas pessoas te deram os parabéns hoje, hã? ;)
Desopilar - é esse também o móbil do meu canto. Ou, como dizia uma conhecida, o blogue é o xixi do dia, a depuração das minhoquices que nos andam na cabeça e não temos outra forma de libertar.