sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Crónicas de 10 linhas - Dança que encanta



A dança oriental, muitas vezes chamada "do ventre" tem origens remotas e ramificaçoes infinitas. É bela, um convite à sensualidade crua e à delicadeza da mulher. Serve todos os corpos e todas as idades. Nenhuma mulher é feia ou inapropriada para se (des)cobrir de véus e fundir-se numa melodia suave, entrar no transe de uma tabla ao rubro e desfalecer em ondulações lentas ao cair do ritmo. A beleza existe em ínfimos detalhes, assim como no conjunto, um hino à feminilidade refinado pelo tempo.
Há um prazer especial na entrega ao ambiente único gerado da combinação de tecidos esvoaçantes, olhos pintados e movimentos velhos como a Humanidade. Cria momentos de comunicação com a essência, o que somos ao despir o social. A meia luz, é um jogo de sedução através do olhar e da vibração febril de corpos que não se tocam (mas que se querem).



Um instrumental libanês que adoro "Alf Leyla Wa Leyla". 
A Kayra interpreta à sua maneira.




E uma tabla, curtinha sem efeito visual.

Para efeito visual do ritmo rápido no corpo, esta menina mostra movimentos catitas. (E a cena que ela faz a partir dos 2 min? Workout 5 estrelas, é o que é.)



 - Ah e tal Pusinko, só palavrinhas fofinhas, hinos à feminilidade e o baralho, mas e Os moços? Que é feito dOs bailarinOs de dança oriental??
- Não falei deles, mas já assisti e fiquei impressionada.
- E blabla da masculinidade refinada pelo tempo? Sumiu?
- Hmmm....... pelo que vi, não é compatível... sacrifícios por amor à arte.



7 comentários:

Joana disse...

Pois é, quando se fala de dança do ventre só se pensa nas bailarinas.
Também acho que é uma dança muito sensual. Depois, se dizes a algum moço que danças a dança do ventre, eles ficam logo em pulgas. hehehehe...

Beijinhos

Hathor disse...

gostei deste post e principalmente dessa primeira e muito famosa musica libanesa :)
Todos os anos vou ao Líbano passar férias, e todos os anos vejo uma espectáculo de dança com homens e mulheres :)
Há movimentos pura e simplesmente fantásticos.

Pusinko disse...

Joana,
Não são só bailarinas. E, não deixas de ter razão, se menciono isso, normalmente sai um "ah tens de dançar pra gente qualquer dia" ou "E quando é que mostras um bocadinho?"
Beijooo



Hathor,
Adoro música libanesa, tenho amigos libaneses, mas nunca lá fui. Tenho pena porque a curiosidade é muita, e o encanto é maior. Adoro a comida, os sorrisos e a disposição. Os homens dançam muito bem, diz-se que sao os melhores. No entanto, dançam de maneira diferente das mulheres. O show de dança que vi cá, com um homem, era algo confuso, porque os movimentos eram tipicamente femininos, quando eu sei que eles têm outros.
Esta música que postei, é mesmo uma das minhas 4 instrumentais libanesas de estimação. :) Se achar as outras no youtube partilho para tu ouvires. São maravihosas e servem de base a muitas variações e até novas melodias inspiradas nestas 4.

Vicky disse...

Eu adorava experimentar mas não existe ao pé da minha casa!

D.Pereira disse...

lembro-me quando era miuda queria imenso aprender a dançar dança do ventre por causa da novela o clone... é para todos os corpos, mas gosto mais de ver quando as moças têm curvas ou são rechonchudas :x aquela moça que tens ai o link parece-me magra de mais, mete-me confusão...

Pusinko disse...

Vicky,
Pois olha que se tiveres oportunidade um dia, experimenta :)


D.Pereira,
Também gostei do Clone por causa disso. E porque foi a última novela que segui :)
Eu gosto do corpo da Kayra, do 1o clip. E gosto de ver mulheres com curvas. No entanto, a razão de ter escolhido a DiDem no último link foi para mostrar como alguém que à 1a vista não tem grandes cuvas, consegue movimentos muito definidos e harmonia na coreografia.
Tal como serve para mulheres gordas, também serve para mulheres muito magras (mas sem ar doente em qualquer dos casos, porque isso mata o encanto). A melhor curva é o sorriso. Cliché mas verdade :)




D.Pereira disse...

é verdade, mas tens razão! ela com menos curvas consegue-se mover que é uma maravilha...