domingo, 14 de outubro de 2012

De Allende, o caderno e outras histórias



O último que li:                             



Já o tinha começado há uns meses. Interrompi porque não gosto de tempo contado para ler.  Não quero que a agenda ou a rotina me limitem o prazer de devorar um livro. Sempre fui assim: devorar livros até ao fim, consumir a história como fogo, fundir-me no meu cenário com as personagens e aventuras. 
Aos meus livros de estimação voltei mais tarde, uma, duas, muitas vezes. Gosto de ler a voar e reler com calma, saborear cada letra, diálogo e detalhe.
Voltei a todos os livros assinados por Isabel Allende, por isso, precisava de tempo para O Caderno de Maya

«Esta Maya fez-me sofrer mais do que qualquer outra das minhas personagens. Em algumas cenas apeteceu-me dar-lhe um par de estalos para a fazê-la voltar à razão, e noutras envolvê-la num abraço apertado para a proteger do mundo e do seu próprio coração imprudente.» Isabel Allende

Eu tive a mesma vontade. Com um pano de fundo muito actual, revisita a ditadura militar no Chile no período mais dramático. É realista e mágico, doloroso, comovente e idiota. Fez-me rir e chorar em simultâneo.

Allende, tal como Alice Vieira, é magnífica a contar histórias de mulheres. São capazes de entrar numa pele muito diferente, acender-lhes a alma e tirar uma guerreira ou princesa onde só havia fuligem. Não são agentes secretas, vampiras, artistas do submundo. São reais, podemos tocar-lhes.



 

5 comentários:

Joana disse...

Também gosto muito dos livros dela. :) Este ainda não li.

Tens um novo desafio no meu blog.

Beijinhos

C.Spot disse...

Nunca li nada da Isabel Allende, mas depois deste post fiquei curiosa. Gosto de histórias de mulheres fortes! Neste momento estou a ler o segundo livro da trilogia do Stieg Larsson e estou colada... :P

Noa disse...

Não conheço, tenho que o procurar ;)

AC disse...

Li o plano infinito..que adorei, uma história de saltimbancos deliciosa, cheia de vidas que se cruzam e pessoas demasiado reais, e li o Paula, intenso e que me envolveu até à ultima linha.

Este achei que se calhar não ia gostar tanto e ainda não o li, mas vou procurar lá na biblioteca e trazer para ler.

Obrigada pela sugestão.

Poppy disse...

Fiquei muito curiosa em relação ao livro :)