domingo, 9 de outubro de 2011

Posts pedidos: Pessoas que dizem não gostar de anedotas...será que é chique?!


Não sei se é uma vez cem vezes, mas esta rubrica é inaugurada pela LEANA dos Diamantes não são os nossos (mulheres) melhores amigos. Leana é desde o título, uma mulher polémica comó caneco, porque contradiz Carol Channing (1949) e Marilyn Monroe (1953) de um só golpe. Além de pinta, a Leana tem dúvidas existênciais, não existenciais ou pouco mais-ou-menos, como qualquer mulher que se preze. Hoje vamos escarafunchar uma observação polémica que ela nos (me) trouxe ao tasco.

Leana conta que há "pessoas que dizem não gostar de anedotas". Acrescenta que Manuela Moura Guedes será uma das pioneiras que dá a cara pelo movimento. Pergunta se é chique ou, de que outro modo se explica tal situação.
Interessada que sou em fenómenos sociais tenho ímpetos de atirar um "Não! Qual chique, qual quê? A menina tá douda?"

E porque responderia assim intempestiva?
Um, sou assim e fervo em quase nenhuma água. Dois, pode tratar-se de limitação de alguma ordem. Limitação de alguma ordem é uma expressão que abarca aspectos linguísticas, como piadas complicadas para não nativos ou pouco fluentes em estrangeiros vários; ou aspectos emocionais, como temas de anedota que firam susceptibilidade alheia. Mas, detalhe de extrema importância, os casos supracitados têm cura e basta contar outra anedota para resolver o assunto.

Hoje, discutimos aquela fracção de indivíduos(as) que, não só não reagem à parvoice, como desdenham esse ofício nobre que é induzir o riso sem fazer cócegas. Pessoalmente, entendo esse fenómeno como sintoma de PDM crónica (sigla para P = Meretriz; D = Da; M = Mania). PDM parece-me um argumento válido sem precisar de grandes explicações. É o que é e, quem sofre de Meretriz Da Mania gravosa tem-se em demasiada boa conta para reagir a momentos de paródia invocados por outros que não o PDMista. Tenho para mim que se trata de um disfarce reles de quem não atinge na hora um dito engraçado. Tem cura? Claro que sim. Um par de bananos bem dados com luva de pelica (ou luva branca, consoante o gosto do curandeiro) tem demostrado resultados duradouros, sem precisar de medicação.

Uma coisa é certa: chique não é.

E pronto, é isto.
Espero ter ajudado :o) 

PS: E a Manuela Moura Guedes? 
Com todo o respeito que a senhora merece (e não estou a brincar), o facto de ter uma boca onde se podem estacionar 3 iates e 1 helicóptero não significa que consiga gargalhar assim do nada. Até porque, os iates ainda ocupam algum espaço, e o botox, parecendo que não, é uma toxina que semi-paraliza musculos importantes na boa disposição.

3 comentários:

Joana disse...

Hahahaha... o que eu me ri a ler o post. Concordo com os teus argumentos.

Beijinhos

LEANA disse...

Ai Pusinko, o que eu já me ri com isto :DD É que foste, literalmente, de encontro àquilo que eu achava!
Então a PDM, os bananos e o parque de estacionamento da MMG são coisas digna de uma mente brilhante!
Não era à toa que eu sabia seres tu a pessoa ideal para escarafunchar o assunto ehehehe!
Ah! E adorei saber que me achas uma pintarolas ;)

Bisouxxxxxxx

Sutra disse...

Adoro anedotas... mas confesso que não tenho jeito nenhum para contar!! :)

beijo
Sutra