quarta-feira, 4 de maio de 2011

Não são de António Aleixo estes conselhos que vos deixo..

... mas são bons na mesma.

Da moda
1) Quando se tem um rabão capaz de submergir as ilhas formigas da Madeira, não fica bem usar um vestido de licra azul brilhantó-esquisito, espalmar numa bicicleta e seguir estrada fora.
          Justificação: O brilho da roupa interfere com os sinais luminosos do trânsito e dificulta a visibilidade de quem segue atrás. (Eu seguia atrás, quase que atropelava um peão)

2) Quando uma farda fica muito justa por razões que a saúde desconhece, deve optar-se por outra mais larga, ou deixar as cuecas de gola alta na gaveta.
        Justificação: cuecas de gola alta fazem parte do imaginário badalhoco do antigamente. Para os apreciadores do trintage, esta peça deve ser conjugada roupa à moda do arroz seco. Que se quer soltinho, obviamente.


Nao sendo visões do Inferno, também não são bonitas de ver. Nadinha. E eu vi com estes que a terra há-de comer.

5 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

Agora tiraste-me o sono, pá!

Pusinko disse...

Julie D'aiglemont: toma um leitinho morno a ver se volta o soninho.
Eu vi estes 2 momentos no mesmo dia em menos de 3 horas.
E para evitar que os meus 2 ou 3 leitores sejam encandeados com imagens destas e acabem mesmo por atropelar peões decidi abrir uma rúbrica de serviço público :/

Beijo

Daniela Pereira disse...

LOOOOL tá mesmo giro! nem eu teria imaginação para isto.

Daniela Pereira disse...

se isto fosse o facebook, carregava no gosto.

Pusinko disse...

Daniela Pereira: Não foi imaginação. Foi real. As duas visões do inferno ocorreram com 3h de intervalo e, realmente quase atropelei um peão...

Há uma função em que se pode dizer se gostou ou não. Alguns blogues possuem isso. Vou ponderar. :)

Beijinhos