segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Crónica de um dia gordo

Ora hoje foi Domingo Gordo. Não aquele ligado à Quaresma e Carnavais mas o "Fry-all-you-want-day/CholesteroAllyouWantDay" + Super Bowl + Despedida de um roomie (shuif shuif)
Destaco, entre outros o queijo mozzarela, os morangos (delicioso, surpresa louca) e os cournichons/pickles. Estes (top3) entre: bolo,  bróculos, batata doce, candy bars e chocolates vários, cogumelos, gnocchi com pesto, frango (no forno  para variar), batata, gomas.............. a loucura em forma de veias entupidas por fritos.
Isto entre cervejinha de boas famílias, a-melhor-Tequila-até-hoje-Patrón-de-seu-nome, 1 mini shot de vodka e da boa, com a ervinha e tudo (Żubrówka) e ficou assim regado o jantar do inferno. 
Já no bar decorado para o evento (Super Bowl) e bem animada vi-me forçada a interromper o festão para conversar cm o meu decote. Pensava eu. Mas não era. Um nadinha mais abaixo e mais pra dentro (assim como quem está fora e entra). Era o Senhor Estômago (já tivemos dias melhores na nossa relação) fez um protesto e decidiu reclamar das iguarias no serão. Sim, eu senti o pedacinho de Snickers (frito) que me aventurei a provar, mal parado em risco de ser rebocado. Não foi... mas a lição foi aprendida. Pelo menos devo ter partilhado o mesmo que levou  certa pessoa a inventar a expressão "ter um nó no estômago"
Amanhã vai 1 detox? Vai sim senhora.
E pra durar quanto? Meu amigo, o tempo que o fofinho do Sr. Fígado assim entender.

Sem comentários: