sexta-feira, 21 de junho de 2013

Da quantidade de cerveja em festas da empresa ou de como o álcool tolda as bistinhas e não é pouco



Tema: Celebração de data importante no departamento da empresa
Condições metereológicas: 34 graus, muito sol na moleirinha de alemães, nórdicos em geral a derreter, o resto do povo feliz da vida com o calor.
Local: Antigo aeroporto transformado em parque
Momento do diálogo: final da festa, grupo enorme abrigado na cabana sem vidro nas janelas durante a enorme tempestade que desabou em Berlin. Bebem-se as últimas grades de cerveja. Aproxima-se  uma colega:

CQBD = Colega Que (claramente) Bebeu Demais
P = Pusinko 

CQBD - Olá, posso sentar?... Tens isqueiro?
P. - Claro.
CQBD - És bonita. 
P - ... Obrigada...
CQBD - Nunca te tinha dito, sempre achei isso e hoje estás muito gira com esses lenços esvoaçantes.
P - ..... errr..Obrigada...
CQBD - Se eu gostasse de mulheres, flirtava contigo agora ^^
P - o_0

Nota de redacção 1: Esta mulher cruza-se regularmente comigo há 7 anos e o máximo que lhe ouvi foi: "Olá". Até ontem.

Nota de redacção 2: O álcool altera a visão e causa um nevoeiro que contado ninguém acredita.

Regra de Ouro #1: Festas e encontros sociais com malta do trabalho, não são festas nem encontros sociais. São trabalho(s).

Regra de Ouro # 2:  Um copo de água por cada bebida alcoólica. Aumentar o número de copos por intervalo sempre que necessário.


6 comentários:

Jedi Master Atomic disse...

loooooool

Até ler o "Esta mulher cruza-se" pensei que era um homem que se estava a sentar ao teu lado...o que tornaria a história ainda melhor :P

Paula Nogueira Guerra disse...

Nem imaginas a quantidade de verdades que se dizem sobre a influência do álcool :)

Um beijo doce giraça e bom fim de semana xxx

Joana disse...

Eu não estou bêbeda e posso dizer que és bonita. ;)

Beijinhos

Poppy disse...

Eu já te vislumbrei assim meio de esquina, no quadradinho pequenino, e não me parece nada que a tua colega estivesse a mentir :p Quanto ao resto, bem... Sem comentários :D

Pusinko disse...

Jedi,
O que torna a história melhor é ela nunca me ter dirigido a palavra e com um graozinho na asa vai de sentar ao pé de mim e falar na maior assim à frente de colegas e chefes.


Paulinha,
Pois eu acho que aquilo toldou-lhe a "bista" e desarrolhou a vergonha. ahah

Joaninha,
Isso é porque és gira e fofa.
:)

Poppy,
De que esquina me vislumbrasteis vós?
E eu nao acho que ela minta totalmente, só acho que exagera no álcool e depois dá nisto: eu lembro e ela quererá esquecer xD

Mak, o Mau disse...

O melhor disso são sempre os dias after party.

A amnésia selectiva é um caminho.

A desculpa encapotada é um luxo.

Os mitos que se criam são fantásticos.

A próxima festa é uma espécie de sequela que se aguarda com um misto de medo e ansiedade de vergonha alheia.