quarta-feira, 25 de julho de 2012

Se conduzir um veículo... não fale ao telemóvel ou como o bi-tasking não funciona sempre


P = Pusinko
A= Amigo imaginário com quem Pusinko toma café em meses ímpares.

A - Ah e tal Pusinko... e se o veículo for uma bicicleta?
P - Nesse caso é ainda mais válido, não vá o dito saltar da mão e cair num monte de areia numa passagem estreita! Em hora de ponta, é coisa para interromper o tráfego e gerar um fuck* audível para o ciclista atrás de ti.
A - E isso é grave?
P - Grave, grave não. Mas vai que esse ciclista, assim de repente, é o seu director?
A - Pois...
P - ...
A - Espera lá! Isto é um cenário demasiado concreto. Aconteceu-te? 
P - Tu é doudo? Claro que não! Muito menos hoje.
A - Então e como termina isso que não te aconteceu?
P- Bem - neste exemplo totalmente imaginado - a areia amortece a queda do aparelho, o director escaca-se a rir e segue viagem depois de um "Tchiii... areia no telemóvel.... isso é azar, pah".
A - Hmmm... imaginado... pois.



* Tanto palavrão assustador em português, mas não, nós é bué féchions e deixa escapar entredentes o impropério mais usado no mundo. :x

3 comentários:

Joana disse...

Acontece-te cada uma... hehehehe...

Beijinhos

PinkPoison disse...

Ihi ihih mais um vez lembro-me do teu post da entrega de bilhetes para um concerto... Beijos

Orquídea Selvagem disse...

E como ficou o "bichinho" depois dessa peripécia?

(às tantas achou que estavas em férias e que o tinhas levado à praia!!)

:))

Beijocas