quarta-feira, 27 de junho de 2012


O Amor

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de *dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar..


do enorme Pessoa


4 comentários:

Joana disse...

Adoro!

Vem o verão e o amor anda logo no ar! ;)

Beijinhos

Catarina disse...

Lindo, imaginas o prazer que sinto, ao ler algo de Fernando Pessoa que é novo para mim?
Provavelmente sim, caso contrário não gostarias de FP :)

Beijinho

Pusinko disse...

Joana,

Onde moro não há assiiiiiim Verão. O amor aqui tem dias :)



Catarina,
Eu procurava outra coisa na net e fui ter a este poema. Também desconhecia e deliciei-me. Tive de partilhar. Ainda bem que sentiste o mesmo :D


Beijokas a ambas e duas!

Orquídea Selvagem disse...

Humm... love is in the air...


Beijocas na TUA pessoa! :)