segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

O paradoxo do TN(T)



É engraçado encontrar pessoas cuja existência nos causa o mesmo impacto que aos 18 anos e, mesmo assim, sem nos impelir a procurar mais do que já temos delas. Há aqueles que, no passado, nos causaram borboletas (ou lagartas, pois nem sempre o bucolismo poético nos assiste), e são hoje memórias que não interferem na neutralidade das nossas existências. Outros há que, vivem adormecidos em nós e fazem coceguinhas no estômago quando nos cruzamos. Por instantes esboçamos um sorriso de pura aceitação dessa condição. Depois passa.
O TN é TNT para mim. Tira-me do sério há anos (2 mãos cheias deles). Nunca se passa nada além do que é, ou sempre foi. Contas feitas, é um instante platónico que gosto de preservar.
Depois há realidades bem deliciosas... mas sobre essas debruçar-me-ei noutro dia. ^^

6 comentários:

Joana disse...

Acho todos temos um TNT na nossa vida, mesmo quando a situação com essa pessoa está completamente resolvida e compreendida.

Beijinhos

Lost Soul disse...

O platonismo nunca fez mal a ninguém...mas que há coisas do passado, que por muitos anos que passem, ainda conseguem mexer cá dentro, lá isso há!!!ó ó!!

beijo

ps: mas a sensação de borboletas é tão boa

-___-

AC disse...

Quando alguém do nosso passado ainda é presente, as borboletas adormecidas acordam... e é tão bom, uma sensação única, perfeita:)

Bibinha disse...

Tenho pena que essa sensação não me acontece todos os dias.... há tanto tempo que não sei o que ela é.

CoisasDaGaja disse...

Ó caramba! Vai na volta escrevi isto algures e tu plagiaste! :) Se não escrevi foi com certeza por falta de tempo! Mas pensei-o! E não há muitos dias atrás ;) (O 1º parágrafo só!)

Beijo

EK disse...

Sim, sim! A minha tem óculos e belos cabelos pretos.