domingo, 16 de outubro de 2011

Juizo dos outros

Uma mulher, mãe de uma adolescente de 15 anos, contou que desde que a filha nasceu, já abortou 11 vezes.

Sinto algum repúdio por esta pessoa.
Não é liberdade da mulher. É maldade, que rima, mas não é a mesma coisa.
Numa cidade, num qualquer canto onde a informação chegue, é de uma baixeza gritante não evitar 11. Diferentes tamanhos, uns mais avançados que outros foram sacrificados porque sim.

Não sou a favor do aborto. Muito menos sou contra. Isto é, o aborto não é um método contraceptivo. (Como não é a pílula do dia seguinte). Entendo que é uma decisão a 2 e, palavra final da mulher que está grávida. Por maior ou menor que seja o embrião, com ou sem coração a bater, formas reconhecíveis, abortar é uma agressão ao corpo da mãe. É ainda mais violento no espírito, por muito que se esteja seguro da opção tomada. Daí que jamais critique uma opção dessa envergadura. Poderia acontecer comigo, também. Há opções no mercado, incluindo definitivas. Por isso, acho cruel e não me saiu da cabeça a tarde toda. Não se faz. E muito menos se fala disso com a naturalidade de quem descreve o jantar da noite anterior.
Gente com a sensibilidade de um penedo não deveria ter filhos.

Conheço o (possivel) pai dessa adolescente de 15 anos. Que está em choque por saber que todos estes anos poderia ter tido 1 filha e vê-la crescer. E essa filha poderia ter 11 irmãos.




6 comentários:

Ana disse...

Meu Deus... Nem tenho palavras! :/

Lost Soul disse...

Os ratos tratam melhor as suas ninhadas...



beijo

Miguel Bordalo disse...

Sim. Essa tipa é completamente anormal. Ainda estou convencido que na altura do primeiro referendo ao aborto o não ganhou à conta dessa bruta. Que deu uma entrevista a um canal qualquer um dia antes da reflexão. Uma tipa sem qualquer tipo de consciência dos seus actos. Impressionante.

Joana disse...

Ora aqui está uma coisa que não consigo compreender.
Em termos espirituais, um aborto acarreta imensos problemas para resolver, quando mais 11...

Beijinhos

Paula NoGuerra disse...

Um aborto é uma opção pessoal, mas um exemplo deste só tem um nome: homicidio! Muito menos dos dias de hoje que já não existem tabus para se resolver tal "problema".
Isso simplesmente não se faz!

André disse...

é daquelas coisas que uma pessoa lê e fica na dúvida se perceber bem o que acabou de ler... 11 vezes???

faço das tuas palavras as minhas no que escreveste sobre ser contra ou a favor do aborto.