quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Quiduxo Governo de Portugal


E achais vós que deixar de comparticipar a pílula vai fazer o que? Aumentar a natalidade? (que esses 12 euros, ui é muito dinheiro) Nem vos ocorre que o aumento do aborto medicamente assistido será pago com impostos muito suados do povo? E psicólogos extra para ajudar algumas miudas em crise depois de fazerem (outro) aborto?
Os jovens sao, normalmente, tesos. Só por aí, dá pra suspeitar que:
1) nao há dinheiro pra extras-nao-impeditivos-de-actividades-lúdicas, especialmente em crise; 
2) as hormonas falam muito alto e, nestas idades tende-se a forn... fazer o amor com índices de qualidade menos elevados.

E nem vamos falar no corte na vacina do cancro do colo do útero, pois parece-me que tanto faz, já que nao convivem com nenhuma adolescente sem cabelo a arrastar-se no IPO... nao se preocuparam em vacinar porque nem dinheiro em casa para a família comer uma refeicao decente, quanto mais andar agora pagar vacinas.

Querido Governo: um dedo do meio deseja-vos um excelente dia!


(Lamento a falta de acentos e cedilhas mas o teclado nao os tem à mao)

7 comentários:

Moi disse...

Passo aqui tantas vezes sem dizer nada, mas neste post junto o meu dedo do meio ao teu!


Beijo

Confuskos disse...

Se subirem o preço dos preservativos mudo de País ou viro Padre!!

É indecente, o que vale é que se podem ir buscar ao centro de saúde, mas as pessoas trabalham!!

Palhaçada, eles podem-nos F@%&$
E nós mal conseguimos F@%&$

Junto o meio dedo do meio ao teu!!

Beijo*

Joana disse...

O grande problema do nosso governo é que uma a bitola do ordenado que eles recebem por mês para pensarem nos cortes que vão fazer e esquecem-se que a grande maioria dos portugueses não tem o mesmo vencimento que eles.
A fazerem cortes, deviam de começar nos ordenados deles e nas regalias que lhes assistem. Mas isso nós não vimos cortes nenhuns. Infelizmente.

Beijinhos

Sérgio Pontes disse...

Estou completamente de acordo contigo e com a indignação. Mas estes gajos terão a noção da realidade?

Ana disse...

A pílula vai continuar a ser distribuída gratuitamente nos centros de saúde. A minha não é comparticipada e eu pago-a na totalidade, mas sei que há outras que têm comparticipação. O problema é que vai haver mais gente a ir pedi-la aos centros de saúde e o governo vai acabar por gastar mais. Ou isso ou, se eles mantiverem os stocks, vai esgotar em dois tempos e aí temos o problema de simplesmente as mulheres deixarem de a tomar e aumentar o número de abortos. Isto é tudo uma grande treta. Se é preciso reduzir a despesa do estado que se reduza no desperdício astronómico que há por aí e não pondo em causa a saúde das pessoas, como acontece não tomando a vacina contra o hpv.

Iza disse...

Concordo absolutamente! Acho esta medida um disparate!

Marina disse...

Concordo convosco na questão da pílula. Perder a comparticipação vai aumentar a toma de outras distribuídas gratuitamente mas também não é assim tão linear. Há muitas mulheres a quem proponho píluas muuuuuuuuito mais baratas e não as querem porque já estão habituadas à que tomam.
No que à vacina do HPV diz respeito, não sei se não irá manter-se no Plano Nacional de Vacinação, ou seja, dada gratuitamente às adolescentes na faixa etária onde já se mostrou ser eficaz (o que não é o caso nas outras idades).