sexta-feira, 3 de junho de 2011

Crónica de 10 linhas: Dessa coisa tão nossa que é o "na última da hora"


Por razoes maioritariamente externas vi-me forçada a adiar a concretização de um trabalho, investindo menos tempo do que realmente precisava. Pois bem, terminei tudo a tempo com grande custo pessoal, incluindo o belo pain killer injectado nas cruzes e pausa forçada em alguns desportos.
Evito ao máximo estas situações (por razões óbvias), mas também não vejo vantagem em ver a banda passar e dar o gás todo no fim. Graceja-se que "afinal fazia-se em menos de metade do tempo". Não, não fazia. Se fizesse, ter-lhe-iam dado outra tarefa pelo meio porque há objectivos a cumprir. 
Qual o demónio paralítico que faz meio mundo satisfeito com o razoável, entregue em cima da hora (quando não atrasado) e achar-se um herói? Não é mérito nenhum coleccionar troféus de salvo-à-rasquinha. Bando de Macgyvers a pilhas.
É um fenómeno transversal à sociedade portuguesa (não só, mas especialmente). Esvai-se tempo para a família ou enriquecimento pessoal com demasiadas horas ineficazes no emprego a coçar micoses entre cafés, cigarros e almoços prolongados. Empurram-se datas até que, ao alerta vermelho, é só esfalfar, praguejar contra o tanto trabalho e safar-se no fim. E é esta mania de "ir-se safando" que quilha tudo.
Que umdia pode correr mal. E ambição? Bistes-la?


8 comentários:

Ana disse...

É por isso que este país não anda para a frente. É uma questão de atitude e não de falta de competência! Enfim... :)

Joana disse...

Eu nuca gostei de deixar as coisas para o fim. Pois com o stress acabo por não conseguir fazer nada de jeito.

Beijinhos

Pusinko disse...

Ana: Tue story. É um comodismo que passa por todos os tipos de empregos e o orgulho de acabar em cima da hora quando podia ser feito mais calmamente, com melhores resultados e aproveitando filhos, família namoros e outros que tal :)

Beijinhos

Margarida disse...

Vale mais planear e levar a cabo algo que resulte em resultados consistentes... É o que prefiro, pelo menos, caso contrário, nada de bom sairá! E aproveita a todos... :)

Bom fds! :)

Pusinko disse...

Joana: E fazes bem. Por vezes, como neste caso, teve de ser... Mas irrita-me muito.

Margarida: Claramente, planear e cumprir. Senão pagam todos pela mesma moeda. E a sensação de esforço não desaparece devido ao tempo que se perde a fazer nenhum no trabalho. A qualidade de vida baixa logo. E há quem passe décadas assim...


Beijokas a ambas :)

Isis disse...

Estou completamente de acordo contigo. Há pessoas que "não têm vida própria" e vão ficando no local de trabalho...

CoisasDaGaja disse...

Gostei dessa do MacGyver a pilhas!!! eheheheh! :))

Pusinko disse...

Isis: Isso é mau. Só que a esmagadora maioria das pesoas tem vida própria e familiar e ignora... depois queixam-se.

CoisasDaGaja: Saiu-me. Mas tem lógica, porque o Macgyver era sempre o maior, não era só volta e meia :)

Beijokas a ambas