domingo, 19 de junho de 2011

Casais amigos

o que os safa é terem amigos e amigas, acasalados ou não (éramos 3), que passam 5h a ver desenhos animados em francês, alemão e inglês, dançar e fazer as maiores palhaçadas para que a sua filha de 2 anos e meio se divirta como deve ser e os papás possam ir a concertos e namorar um bocado.
Ter um "bebé" a adormecer no nosso peito, aquela respiração calma depois de muito brincar, o sono mais puro e belo, quando os conceitos base e a própria vida ainda se formam em pequenos bocados desorganizados, é uma experiência absolutamente extraordinária.

Adoro crianças, putos reguilas, miudas com lacinhos, bebés sorridentes. Cada um é um mundo novo, uma descoberta que permite conheçamos melhor em ângulos que não visualizamos normalmente.

Sou grata por cada momento assim. Enche-me o coração aqueles olhos enormes, as covinhas na face e as gargalhadas cristalinas como só as crianças e raros adultos conseguem ter.
Ao mesmo tempo, sei que não estou preparada para ser mãe. E sinto-o cada vez que me derreto assim com uma criança.

3 comentários:

Lost Soul disse...

nunca se está preparado...

beijo

Joana disse...

Percebo-te tão bem...

beijinhos

Pusinko disse...

Lost Soul: Pois não. Mas há alturas em que se sabe menos preparado. Eu estou nessa altura. :)

Joana: Sorte de quem nos tem por amigos e a gostar de tomar conta de putos :) Porque no fim eles voltam para os papás e o mundo continua a girar.


Beijokas a ambos :)