quarta-feira, 2 de março de 2011

Faz-me comichão no céu da boca #5: escrever em estrangeiro

... é o jornalismo da moda: (...) "Escreva-se que o encontro com Tom Ford deu origem a uma campanha fotografada pelo estilista himself que revela"(....)

Sra. jornalista(?) Rosa Ruela, escreva-se é em condições. Tirado daqui

Eu escrevo como me apetece, porque este é o meu blog, porque cada um que manda postas de robalo por essa internet adiante em emails, blogs, cartas de amor e o camandro conforme lhes apetece. Mas, quando se trata de um serviço público...

Atente na Wikipedia: "O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, com cerca de 228 500 entradas, 376 500 acepções, 415 500 sinónimos, 26 400 antónimos e 57 000 palavras arcaicas, é um exemplo da riqueza léxica da língua portuguesa."

No meio desta tralha toda não acha uma triste palavra e tem de fazer uso de palavras estrangeiras? É só por não saber mais ou só está armada em estúpida? Ora phoda-se Sra. Ruela.
A sra. NAO sabe expressar-se em Português e, consta que conhece 1 palavra estrangeira.
Desejo que a senhora se passe ao real baralho. Ou que vá servir cafés na redacção.

Sem comentários: