sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Pois.... se calhar sao ralações à distância

Ralações à distância............

Estive a passar os olhos no blog da Feiticeira e reparo-me com este post que me deixou a pensar nos "ses" da minha vida pessoal e da relação à distância em que me fui envolvendo por muito que dissesse que não, que era tudo muito claro. Não era. Foi profunda e intensa e deliciosa e complicada. E doeu.
Se tudo é muito claro para nós quando as pessoas à volta veem turvo é porque algo não está a funcionar. Um, outro, ou ambos podem ver as coisas como querem/desejariam que fossem até ao dia em que se deparam com 1 realidade diferente, por muito que seja o amor e carinho a entre esses 2.  Ou outros quaisquer.
Estive nessa corda bamba, entre assumir só para o M. (e vice-versa) e amigos mais próximos, e manter a tal "liberdade" que nos unia também, intocável para o resto do mundo. Para nós também. Medos de dar mais do que o outro lado e desiquilibrar a balança que assentava numa mola...
Só que as circunstâncias mudam ao longo do tempo e nem sempre os personagens principais  acompanham... e criam-se espaços vazios (de nós) ou cheios (de expectativas), e sofrimentos que redundam em desilusões várias. Quando achamos que nós crescemos mais do que a outra parte e, o nosso esforço não é compensado, nem apreciado, nem nada... tendemos a ir abaixo. Ou culpar o(a) outro(a). Se calhar são só crescimentos divergentes.... É isso com que lido agora, com a certeza que só o melhor pode acontecer :)


Sem comentários: