terça-feira, 1 de abril de 2014

HER - o caso da Sra. Johansson


Por motivos vários nunca formei uma opiniao muito consistente sobre a Scarlett. Mas isso nao interessa nada agora. Só vim cá dizer que sem a voz dela, Her nao teria o mesmo impacto. Jamé.




PS: O filme dá que pensar. Andava tanta gente a falar sózinha (com os seus super-smartphones) nas ruas que chega a ser assustador. Que é feito dos amigos? Depois lembro-me que há umas semanas estava a almocar com 1 colega e as 2 garotas da mesa ao lado comunicavam por mensagem/fb e sei que, afinal, o fim do mundo já comecou.
PS2: A trama passa-se num futuro aqui ao lado e eu nao entendo onde ficou esquecido o sentido de moda nos poucos anos entre este dia e o do filme. Especialmente as calcas dos personagens masculinos. Medo.

4 comentários:

Rafael Souza disse...

É giro ver a Siri como uma rameira*... Mas sim, sem aquela voz não seria a mesma coisa, fun fact, no início não era aquela voz, a Scarllet gravou por cima, o que foi uma boa decisão.

Também é muito interessante que Los Angeles no futuro vá ser uma Shangai de agora...

* não disse puta porque tenho medo do Exame Prévio.

Jedi Master Atomic disse...

Também gostei muito do filme. Ela está a ficar uma sra. atriz.

Pusinko disse...

Rafael Souza,
Eu li algures a respeito dessa troca de voz e acho que foi a escolha certa também :)
Quanto à questao LA do futuro próximo virar Shangai de agora é que já nao sei se gosto tanto.
* "Puta", no contexto adequado, passa o EP deste tasco.


Jedi,
ela safou-se bem, especialmente tendo em conta que muitas cenas já estavam gravadas e é mais difícil acertas os tempos para o diálogo bater certo. Nao ia ver de novo, ao contrário do Grand Budapest mas gostei bastante :)

Anónimo disse...

Se ha actrizona consistente é a Scarlett... Uff... aquilo é consistência por toda a parte. E aquela vozinha rouca? Uuuuiii parece a tipa dos Fleetwood Mac (nos tempos...)